Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Projeto de Extensão “Formação Livre em Gestão Social e Metodologias Integrativas” finaliza seu ciclo de oficinas
Início do conteúdo da página

Projeto de Extensão “Formação Livre em Gestão Social e Metodologias Integrativas” finaliza seu ciclo de oficinas

  • Publicado: Quarta, 18 de Novembro de 2020, 15h40
  • Última atualização em Quarta, 18 de Novembro de 2020, 15h40
  • Acessos: 124
Gestão Criativa de Conflitos – esse foi o tema da 6ª e última oficina do Projeto de Extensão “Formação Livre em Gestão Social e Metodologias Integrativas”, coordenado pela professora Valeria Giannella, e executado pela UFSB, em parceria com o Instituto Mãe Terra e o Laboratório Paideia, no âmbito da Escola Livre em Gestão Social, que aconteceu no último dia 13, sexta-feira.
 
A oficina foi realizada na modalidade virtual (você pode conferir a gravação em https://youtu.be/QhmxEUDXYeo), contando com a participação de estudantes, pesquisadores e atores e gestores sociais da Costa do Descobrimento e de outros territórios. Os relatos foram expressivos e contou também com uma poesia escrita por uma das participantes na fase de pré-oficina, em que os inscritos foram convidados a refletir sobre os conflitos nos contextos dos seus cotidianos.
 
A professora Valéria explica como foi a metodologia do projeto, realizado de forma coletiva e dialogada: "Buscamos, primeiro, reconhecer o conflito como dimensão intrínseca das sociedades complexas em que vivemos, desconstruindo a ideia do conflito como elemento encoberto de negatividade, disfuncional; segundo, reconhecer o conflito em suas multíplices faces e possibilidades, relacionando os principais contextos em que pode vir a acontecer; e por último, compreender o papel da escuta ativa em possibilitar a gestão de conflitos e reconhecimento da diferença e busca conjunta das formas possíveis de convivência".
 
Ao final da oficina, o convite feito a cada participante é que ele/a possa reconhecer os conflitos (nas organizações, grupos, relações interpessoais, por exemplo) como sinalizadores da complexidade de cada contexto e identificar percursos para poder conviver com e na diferença.
registrado em:
Fim do conteúdo da página